Árbitro que revoltou Vasco contra o Bangu não apitará mais jogos do time no Carioca e pode ser afastado pela FERJ

O Vasco ficou no empate por 2 a 2 com o Bangu, no último domingo (28), pelo Campeonato Carioca.


O jogo, ocorrido em Brasília, ficou marcado pela atuação do árbitro Tarcizo Pinheiro Caetano, o que provocou a indignação do Cruzmaltino. Imediatamente após o confronto, o clube emitiu um comunicado oficial pedindo que o árbitro seja excluído de futuras arbitragens nos jogos da equipe.

Segundo apuração da ESPN, apesar da insatisfação do Vasco, a proibição específica para um clube está descartada. Contudo, a comissão de arbitragem da Ferj entende que Tarcizo não deverá ser designado para trabalhar nos próximos jogos do Vasco devido às controvérsias no duelo com o Bangu.

A reportagem também apurou que a federação irá se reunir com o Vasco nesta segunda-feira (29).

O Comitê de Políticas Técnicas – COPOT –, composto por 11 membros, sendo 3 Gestores de Arbitragem e 8 Instrutores, analisará os lances da partida. Caso os erros sejam reconhecidos, o árbitro será afastado e encaminhado para um treinamento, sem prazo definido.

Entenda o ocorrido:

No empate por 2 a 2, o Vasco jogou com um homem a menos desde os cinco minutos do primeiro tempo, após a expulsão direta de Jair. O Bangu também teve um jogador expulso, Luiz Felipe, aos 36 minutos do segundo tempo. Com o clima quente em campo, a tensão aumentou ainda mais durante o período de acréscimo.

Tarcizo adicionou 11 minutos além do tempo estipulado. Aos 53 minutos, Payet marcou o que seria o gol da vitória do Vasco. Entretanto, o jogo continuou, e aos 58 minutos, o Bangu teve um pênalti a seu favor, intensificando a revolta do Cruzmaltino. João Victor converteu a penalidade, igualando o placar.

A partida só foi encerrada aos 60 minutos. Vale ressaltar que não há VAR em jogos entre clubes grandes e equipes de menor expressão no Campeonato Carioca, decisão tomada pelos próprios clubes devido aos custos operacionais.